Kevin Warwick (Cybernetics)

Data: 
Quinta 28/Fevereiro 14:00

The Cyborg Experiments

Nesta apresentação é utilizado um olhar prático à forma como a utilização de tecnologia de implantes e eléctrodos pode ser empregue para criar cérebros biológicos para robôs, para permitir a melhoria do ser humano e diminuir os efeitos de certas doenças neurais. Em todos os casos o resultado final é aumentar o leque de habilidades dos recipientes. É dada uma indicação em algumas áreas na qual este tipo de tecnologia já teve um efeito profundo, sendo um elemento chave a necessidade de uma interface clara ligando o cérebro biológico directamente com tecnologia de computador.

A ênfase é claramente colocada em estudos científicos experimentais que foram e actualmente são empreendidos e relatados. A área de foco é notavelmente a necessidade de uma ligação biolócia/tecnológica, onde a ligação é feita directamente com o córtex cerebral e/ou sistema nervoso. A apresentação irá considerar o futuro no qual robôs têm cérebros biológicos, ou parcialmente biológicos, e nos quais implantes neurais ligam o sistema nervoso humano bi-direccionalmente com a tecnologia e a internet.

Biografia: 

Kevin Warwick é Professor de Cibernética na Universidade de Reading, Inglaterra, onde faz investigação em inteligência artificial, controlo, robótica e cyborgs. Ele é um Chartered Engineer e um Fellow da IET.

Kevin nasceu em Coventry, Inglattera e deixou a escola para entrar na British Telecom, aos 16 anos. Aos 22 ele tomou o seu primeiro diploma na Universidade de Aston, seguido de um PhD e posto de pesquisa no Imperial College em Londres. Subsequentemente ocupou posições nas Universidades de Oxford, Newcastle e Warwick antes de lhe ser oferecido o Chair na Universidade de Reading, aos 33 anos.

Bem como a publicação de mais de 500 trabalhos de pesquisa, as experiências de Kevin na tecnologia de implantes levaram-no a ser destacado como história de capa na revista americana 'Wired'.

A Kevin também foi premiado com higher earned doctorates (DSc) ambos pelo Imperial College e a Academia de Ciências Checa, Praga, e foi premiado com Honorary Doctorates pelas Universidades de Aston, Coventry, Bradford, Robert Gordon, Bedfordshire e Portsmouth. Foi apresentado com o prémio The Future of Health Technology no MIT, foi feito Membro Honorário da Academia de Ciências, St. Petersburgo, e recebeu a Medalha IEE Senior Achievement, a Medalha Mountbatten e a Medalha Ellison-Cliffe. Em 2000, Kevin apresentou as palestras Royal Institution Christmas, intituladas "The Rise of the Robots".

A pesquisa de Kevin envolve a invenção de um estimulador inteligente no cérebro profundo para contrariar os tremores da doença de Parkinson. Os tremores são previstos e um sinal de corrente é aplicado para parar os tremores antes de estes começarem - isto é para ser testado em humanos. Outro projecto envolve a utilização de redes neurais biológicas/cultivadas para guiar robôs - o cérebro de cada robô é feito de tecido neural.

Talvez Kevin seja melhor conhecido pelas suas experiências pioneiras envolvendo a implantação neuro-cirúrgica nos nervos medianos do seu braço esquerdo para ligar o seu sistema nervoso directamente a um computador para avaliar a mais recente tecnologia para utilização com os inválidos. Ele foi bem sucedido com a primeira entrada extra-sensorial (ultra-sónica) para um humano e com a primeira experiência de comunicação telegráfica puramente electrónica entre os sistemas nervosos de dois humanos.